Fotografo: Reprodução
...
O complexo é uma das medidas de compensação pela construção da usina de Belo Monte

O atraso já foi alvo de investigação pelo MPF, logo após o Massacre em Altamira, que resultou na morte de 68 detentos. O complexo de Vitória de Xingu evitaria superlotação em Altamira, segundo o MPF.
Após seis anos desde o início das obras, o Complexo Penitenciário de Vitória do Xingu, sudeste do Pará, foi inaugurado nesta segunda-feira (4).
O complexo é uma das medidas de compensação pela construção da usina de Belo Monte e foi construído em convênio entre a Norte Energia, operadora da usina, e a Secretaria de Estado de Segurança Pública (Segup).
O presidente da Norte Energia e o governador do Pará, Helder Barbalho (MDB), participaram da solenidade de inauguração do novo complexo. Ao todo, 226 presos serão transferidos para as novas casas penais.
O atraso na entrega do presídio já foi alvo de investigação pelo Ministério Público Federal (MPF), logo após o Massacre em Altamira, que resultou na morte de 68 detentos.
Em Altamira, segundo relatório do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), o presídio, que atualmente está em reforma, tem capacidade para 163, mas estava com lotação de 343, quando ocorreu o massacre.
Segundo o MPF, o complexo de Vitória de Xingu evitaria superlotação em Altamira. O governo anterior ao atual previa a conclusão para 2018. Um relatório da Assembleia Legislativa também aponta superlotação em presídios do Pará.